12/04/2009 – Páscoa dos infernos

Eu nem me toquei que hoje era Páscoa. Só fui lembrar quando, pela manhã, sintonizei na Globo e estava passando a missa do Padre Marcelo.

Páscoa é a data comemorativa mais importante do Catolicismo. Mas eu, como não tenho religião e não acredito em picirica nenhuma, não fui à missa, não vou ganhar ovinhos e não tenho o que comemorar. É bem verdade que 2009 está sendo um dos anos mais felizes que já vivenciei, mas, para mim, os feriados sempre foram muito monótonas.

Natal, Páscoa, Ano Novo, etc. são datas comemorativas adequadas à celebração em família. Eu, como não tenho família, passo batido e fico de boa. Parentes não me fazem falta, melhor só do que mal acompanhado. De meus familiares, não guardo boas recordações, apenas mágoas. E não pense que isso me chateia. Daquelas pessoas, quero distância.

Você, leitor, certamente veio até aqui à procura de informações agradáveis, mas a realidade é muito diferente. Quem não tem dinheiro nem família vive no osso. Mas eu ainda me considero uma pessoa privilegiada, tenho tudo o que uma pessoa precisa para sobreviver com dignidade. Contudo, muitos moradores de rua, crianças abandonadas, miseráveis, prostitutas, depressivos, desempregados estão mergulhados na tristeza. Enquanto você come chocolate, os outros apodrecem.

Deixe um comentário